Ads 468x60px

About This Blog

domingo, 4 de março de 2012

1º - ECU O cérebro da injeçã eletrônica

Imagem ilustrativa
A nomenclatura utilizada na maioria desses cérebros eletrônicos pelas montadoras não só de motocicletas mas também de automóveis é ECU (Unidade de Comando Eletrônico).
Outros utilizam ECM (Módulo de controle elétronico ou Módulo de Controle de Motor). O que na pratica é a mesma coisa.



 Já nas motocicletas o módulo fuciona como o cérebro do sistema de I.E ( Injeção Eletrônica).
E recebe vários sinais de entrada provenientes dos sensores posicionados em pontos estratégicos para obter a informaçao mais precisa possível, e eviar a ECU.
  O módulo processa as informações recebidas e faz diagnósticos, compensações e também possui histórico de panes e um módulo de segurança.


E controla o tempo adequaldo de injeção e de ignição e comanda os bicos injetores e todos os outros atuadores.

Obs: Falaremos individualmente de todos os componentes do sistema de I.E en topicos referentes a tal componete. Aguardem.

A ECU está praticamente dividido em três partes:
- Circuito de entrada e saida de sinal.
É responsavel por converter os sinais análogos recebidos, em sinais digitais para que o cérebro processe e efetua o controle do motor.
- Módulo de comando.
 Coposto por algumas memórias, necessita de uma tensão de aproximadamente 5 volts, e recebe sinais da CPU ( Unidade de Processamento Central). Trabalha com dados recebidos da memória ROM.
A CPU envia comandos para os atuadores.
Durante o funcionamento do motor os dados são armazenados na memória RAM que são transferidas para os cálculos.
 Obs: ATENÇÃO: Os sinais da ECU podem sofrer interferências por que usam correntes muito baixas, essas interferências podem ser causadas por rádio, celular, bpis etc.Podem alterar o funcionamento do módulo. A ingnição da motocicleta produz interferência por rádio freqüência (IRF), por este motivo a vela de ignição e o supressor são equipados com resistores para minimizar ao maximo o riscos de interferências que possa danificar o funcionamento do sistema.
Vale ressaltar que alguns modelos de alarmes podem auterar os comandos.


- Circuito Suplementar:
O circuito de alimentação elétrica converte a tensão da bateriaem em aproximadamente 5volts, necessários para colocar o ECU em funcionamento.
Os sensores por sua vez fornecem a voltagem necessária para os atuadores, em média 12volts.

há também a comunicação feita por um circuito entre o cérebros eletrônico (ECU) e o painel de informações da motocicleta, exp: Rotação, temperatura, diagnósticos e etc.

A ECU é realmente um cérebro eletrônico, pois ele recebe vários sinais de entrada processa e gera sinais de saida.
Ilustração
 A ECU tranforma os sinais dos sensores que estão de forma análoga em sinais digitais para desta forma serem compreendidos pelo seu sistema.
A ECU consegue saber as condições do motor através dos sinais recebidos, e com essas informações a central eletrônica calcula o tempo e o ponto de injeção e ingnição mandando todos os atuadores trabalharem cada um ao seu tempo inclusive injetores e o motor.



ECU Sensores e atuadores
Vou tentar explicar o que são sensores, atuadores e a ECU para que facilite a compreenção para os leigos.
Suponhamos que a ECU sejá um REI, esse rei comanda um império ( A Motocicleta) mas para que esse império esteja sempre em harmonia e tudo fucine perfeitamente, e não aconteça o mesmo que causou a queda do antigo REI o CDI( Ignição por Descarga Capacitativa).
Este rei conta com dedicados e obedientes operários ( Os atuadores), mas como o rei não pode está em varios lugares ao mesmo tempo o que ele fez? Montou uma equipe de inteligência (Os sensores) esses pasam todas as informações ao rei, e ajuda a manter tudo funcinando no império "motocicleta" e os operários (Os atuadores) como o rei quer.
Porém, o rei é muito integente e conta com um colaborador de fora do seu reino " O reparador ou mecãnico" No caso de qualquer um dos seus comandados não entarem fazendo o seu trabalho corretamente o colaborador é convocado para corigilo ou condenalo (Reparar ou substituir).
Ufa espero ter facilitado o entendimento.

Vamos lá voltando ao texto técnico:

 O micro-processador está equipado com:
Memória ROM - Com as caracteristicas do motor, mapa de injeção e ingnição, não é aconselhavel fazer alterações.
Memória RAM - Para leitura e armazenamento de informações tais como falhas do motor e a leitura com ferramentas especiais Exp: (Scanner)  Os dados podem se perder quando não houver tensão (V).
Os dados para controles ficam guardados na memória flsh da RAM. (A memória flash não necessita de bateria).


As informações a seguir estão baseadas nas Yamaha fazer/lander 250.


Sinais de saidana ECU
  Atuadores
 - Bomba de combustivel
- FID ( Valvula solenoide de partida rapida)
- Bico injetor
- Bobina de ignição  

Sinais de entrada ECU
Tensão da bateria
- yamahas o minimo ideal é de 12,8volts
- A Honda minima indica 12,6volts
 Interruptores
- Interruptor de partida, de embreagem e do cavalete lateral.
Sensores
- Sensor de posição do virabrequim
- Sensor de ângulo de inclinação do chassi
- Sensor de temperatura do motor
- Sensor de oxigênio ou Sonda Labda, empregadas nas fazer e Lander apartir 2009.
Sensor hibrido ou três em um
- Sensor de temperatura do ar da admissão
- Sensor de pressão no coletor da admissão
- Sensor de posição de borboleta (TPS)

Cada sensor envia os sinais elétricos para a ECU: vamos a alguns deles: rotação e posição do virabrequim, pressão no coletor da admissão, temperatura do òleo do motor, temperatura do ar, posição da borboleta de aceleração, ângulo de inclinação do chassi, entre outros.   


Gerenciamento eletrônico da injeção e ignição
Sinais de                           Processamento das                     Sinais de saida
entrada                                  informações                                        ^ 
     ^                                                 ^                                                 ^
     ^                                                 ^                                                 ^
Interruptor >>>>>>>>>>>>>>    ECU >>>>>>>>>>>>>>>>;Atuadores
Tensão                                                                                            Outros 

                           Autodiagnóstico
Para um funcionamento perfeito do motor em todas as condições exigidas pelo condutor, a fim obter o máximo de potêcia e consumo minimo de combustivel mantendo a emissão de poluentes o mais baixo posivel, é necessário que o sistema de injeção eletrônica esteja em perfeito estado de funcionamento e a bateria com a tensão minima recomenda no manual do fabricante.
O cérebro da I.E está monitorando todo o funcionamento do motor por meio dos sensores localizados em pontos estratégicos na motocicleta, as decisões são tomadas através de sinais oriundos dos sensores.

Com base nas informações dos sensores de, pressão do ar de admissão, oxigênio no escape, temperatura do óleo do motor, temperatura do ar de admissão, posição do virabrequim,ângulo de inclinação do chassi e rotação do motor a ECU o volume de ar que entra no motor e com base nestes parâmetros dis ao bico injetor quando deve fazer a injeção de combustivel e o tempo que é em frações de segundos, afim de assegurar uma melhor mistura ar/combustivel.

Caso algum sensor não consiga mandar sinal para a ECU por qualquer motivo, ela executa um plano de emergência gravado em seu sistema com um mapa alternativo para que o motor continue funcionando da melhor maneira posivel e piloto possa ver que algo está errado através da luz de anomalia.

A ECU é dotada de estratégias pré-programadas de forma que cada sinail recebido de um sensor é corresponde a um valor que é medido em volts. Se não houver um sinal de entrada ou o sinal emitido estiver destorcido faz com que o autodiagnóstico da ECU reconheça a possivel pane e execulte um comando para luz de anomalias da injeção eletrônica no painel de instruções e emita piscadas correspondentes a um condigo que indicara o sensor ou atuador defeituso.
A luz de anomalias também conhecida por (Mil) emite dois dipos de piscadas, longas e curtas.
A piscada Longa correspode a "10"   
A piscada curta é correspondente a "1".

Havendo um ou mais erro os códigos de defeitos armazenados na ECU podendo ser exibidos em ordem crescente por meio da luz de anomalias ou da ferramenta de diagnósticos, Depois que os problemas forem resolvidos e não for apagado os códigos, esses ficaram guardados no hostórico de falhas da ECU e da mesma forma podem ser visiualizados com a ferramenta de diagnosticos. 

 Manutenção da Unidade de Comando Eletrônico (ECU)

É recomendavel que após a repação de algum de seus componete que apresentou código de defeitos este registro seja apagado.
No caso de remoção de alguns componetes pricipalmente do comrpo de aceleração a ECU deve ser reiniciada tal qual um computador, porem é um processo não é o mesmo que disligar o computador de casa, tem um procedimento explicarei em um topico especifico para este fim.

Alguns clientes me perguntam se não da para recuperar uma ECU danificada. Antes de qualquer coisa é bom lembrar que os manuais dos fabricantes não recomendam ou fazem alguma menção nesse sentido pelo menos eu nunca vi, mas é um componente esletrônico e no casso dos automóveis sei que tem até mesmo cursos para recuperar ECUs, no caso das motocicletas eu nãtenho essa informação até por que a maioria dessas centrais são blidados.

No tabela de códicos de falhas e defeitos há em praticamente todos os sintomas e causas menção a ECU.
Mas vou citar ocódigo 50 que aponta como causa provavel o componente em questão.
Sintoma: Motocicleta não funciona, mau funcionamento na ECU, o programa e os dados não são reconhecidos, ocódigo pode não ser apontado na ferramenta de diagnóstico nem atraves da luz de anomalia.
causa: Defeito na memória da ECU 
Não há na tabela de diagnósticos menção ao código 50.
Dica: Para você que é reparador o ideal é que tenha uma unidade ECU para testar, confirmando assim que a ECU da motocicleta está mesmo com defeitos.
  
É isso ai espero ter ajudado, eu iniciei com a IE falando da Unidade de Comando Eletrônico ou ECU e ECM que é a mesma coisa, vou numerar as materias de forma a facitar o acompanhamento dos leitores.

Quem diver duvida sobre outros assuntos que não seja injeção eletrônicaé queirão mais informações que eu responderei assim que for posivel.

OBRIGADO.
1º ECU





      

0 comentários:

Postar um comentário